A AMG Mineração (antiga MIBRA – Cia Estanho Minas Brasil) é uma importante produtora mundial de concentrado de espodumênio, concentrado de tântalo, estanho em lingotes e feldspato, localizada em Nazareno, estado de Minas Gerais, Brasil.

História da AMG Mineração

Oficialmente fundada em 15 de Outubro de 1945 pela família Guimarães, a Cia Estanho Minas Brasil – MIBRA, sucedida pela CIF Mineração S/A, tinha como objetivo a exploração industrial de jazidas minerais, a metalurgia e o comércio desses produtos. As explorações eram executadas de forma semimecanizada, vindo a ser modernizados anos depois com a instalação de moinhos e planta de separação magnética.

Em 1978, a vida útil da mineração era estimada em 3 anos, quando os proprietários decidiram vender 70% para o Grupo Metallurg que começaram pesquisas de novos corpos dentro da área de mineração, bem como, iniciou-se trabalho para recuperação ambiental das áreas até então degradadas.

Em 1983, a CIF – Cia. Industrial Fluminense, sucedida pela LSM Brasil, adquiriu os 30% restantes da MIBRA e como representante do Grupo Metallurg, que já a havia adquirido em 1979, passou a administrar a Mibra com outra metodologia de trabalho, buscando sempre o aumento de produtividade, através de reengenharia dos processos.

No ano de 1993 a Cia. de Estanho Minas Brasil – Mibra, foi incorporada à Cia Industrial Fluminense – CIF, tornando-se CIF – Filial Volta Grande, mas continuou sendo chamada pelo carinhoso nome de MIBRA.

A partir de 1996, a MIBRA entrou em um período de pesquisas e desenvolvimento de produtos e processos e também investimentos como instalações das Espirais, reaproveitamento de rejeito como minérios industriais, melhoria na recuperação do tântalo, consolidando com o aumento da capacidade da planta para 25.000 ton./mês de pegmatito, no ano de 2000.

Nesse mesmo período iniciaram-se estudos para desenvolver o Projeto denominado MIX Cerâmicos, a partir da utilização de rejeitos do processo de beneficiamento, onde 90% do material poderia ser comercializado como Feldspato, matéria prima para indústrias cerâmicas e vidros.

A produção do Feldspato começou em 2003 na sua forma in natura, deixando de ser um problema ambiental para se tornar um dos produtos mais rentáveis da Cia. Em pouco tempo a produção de Feldspato passou de 1000 para as atuais 12000 toneladas por mês, se tornando referência no mercado nacional, abastecendo 80% das indústrias cerâmicas.

No ano de 2009, a empresa concluiu o maior projeto de sua história, que é a expansão de sua capacidade, passando para 50.000 ton./mês de pegmatito, se tornando uma importante  produtora de tântalo no mundo, além de já ser uma das maiores reservas mundiais em  teor.

Esse foi o primeiro passo rumo ao crescimento com sustentabilidade, com a proteção ambiental, segurança e com a responsabilidade social.